×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Pesquisa translacional em plantas

30th October 2019

Pesquisa translacional em plantasOs seres humanos dependem das plantas como fonte de alimentos desde o início da humanidade. Sua observação e experimentação com elas tornaram possível a domesticação, o que trouxe grandes mudanças para as primeiras sociedades, como o estabelecimento dos primeiros assentamentos permanentes. Desde a sua origem, a agricultura dependeu dos processos de seleção e combinação (que resultam em modificações genéticas) para obter as características desejadas nas colheitas.

As tendências atuais do aumento da população mundial, as mudanças observadas no ambiente que limitam a disponibilidade de água para a agricultura, bem como o uso de uma quantidade maior de terras férteis para esse fim, deixam clara a necessidade de aplicar conhecimentos científicos para buscar garantir a segurança alimentar das próximas gerações.

É conhecido como pesquisa translacional em plantas o desenvolvimento de novas tecnologias baseadas em descobertas feitas por meio de pesquisas em ciências básicas, cujo objetivo é melhorar a agricultura. Especificamente, procura aumentar a produção agrícola a partir da mesma quantidade de terra, mas diminuir o uso da água.

TAMBÉM PODE INTERESSAR-LHE:  Pesquisa em alimentos funcionais

Para isso, busca-se selecionar as características das plantas que lhes permitam crescer em condições climáticas mais adversas e serem mais resistentes a pragas e doenças. Os desenvolvimentos tecnológicos atuais permitem que o processo de seleção seja realizado de maneira mais precisa e direcionada.

Estudos genômicos permitiram a identificação de genes relacionados a características desejáveis em diferentes variedades de plantas, facilitando a rápida identificação dos indivíduos que mantiveram a característica desejável após a polinização cruzada e a eliminação daqueles que possuem genes indesejados.

A engenharia genética permite, por sua vez, introduzir o gene de interesse diretamente no DNA da planta. Uma variante que ainda está em desenvolvimento, a edição genética, permitirá modificar seções específicas do DNA, permitindo introduzir variações em um gene.

Na FUJIFILM Wako, oferecemos uma ampla gama de reagentes para facilitar sua pesquisa na área de biologia molecular de plantas.

GM quicker (317-06361)

O GM quicker é um kit que permite a extração de DNA de grãos como milho ou soja usando absorção de sílica na presença de um íon caotrópico. Dessa forma, evita-se o uso de fenol e clorofórmio na extração, obtendo resultados com alta eficiência em apenas 35 minutos.

ISOPLANT (310-02733)

Isoplant é um kit para extração de DNA de plantas, leveduras e bactérias de uma maneira simples. Nosso kit inclui cloreto de benzila, que quebra as paredes celulares, as membranas celulares e as membranas nucleares, permitindo que o DNA seja extraído sem triturar a amostra ou executar outros procedimentos de pré-tratamento.

Dicamba (049-23573)

Auxinas são hormônios que regulam o crescimento das plantas em seus diferentes estágios. Dicamba é uma auxina sintética usada no desenvolvimento de culturas para obter grãos de plantas.

Bibliografia:

  1. Ronald, P. C. (2014). Lab to farm: applying research on plant genetics and genomics to crop improvement. PLoS biology, 12(6), e1001878.

Por: Adriana Clegg Em: Produtos Wako