×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Dos métodos analíticos aos baseados na imunotecnologia para a análise de alimentos

14th February 2019

Variáveis no desenvolvimento de reagentes para a cultura de células-troncoOs alimentos são aquelas substâncias que os seres vivos ingerem diariamente para fornecer energia, vitaminas e proteínas, para regular e manter o metabolismo dos nossos corpos.

Por ser um elemento tão importante para o ser humano, é necessário manter uma análise de seus aditivos e componentes naturais.

Além disso, os alimentos estão expostos a uma manipulação constante que, sem a segurança necessária, pode levar à contaminação e, posteriormente, à intoxicação alimentar.

Nesse sentido, a empresa Fujifilm Wako fabrica e distribui diferentes reagentes para a análise de alimentos, desde aqueles usados como padrões para detectar componentes naturais e aditivos, até os métodos de detecção de patógenos baseados na imunotecnologia.

Padrões analíticos para glicosídeos de esteviol, frutooligossacarídeos e melamina

Os glicosídeos de esteviol são componentes da folha da planta Stevia rebaudiana, que são geralmente usados como adoçantes nos alimentos. A empresa possui padrões de alta pureza para determinar os diferentes glicosídeos, como o esteviol e padrão de esteviosídeo, os rebaudiosídeo A, B, C, D, F e dulcosídeo.

Os frutooligossacarídeos ou FOS, assim como os derivados da estévia, são geralmente utilizados como edulcorantes. Além disso, estes compostos têm efeitos positivos na saúde humana, tendo um efeito pre-biótico, agindo como um suporte energético que estimula a microflora intestinal. A série de padrões oferecidos pela Fujifilm Wako permite determinar o teor desses elementos em alimentos e bebidas

Por fim, a melamina é um composto orgânico que se conjuga com outras moléculas formando resinas para diferentes produtos da indústria. No entanto, devido ao seu alto teor de nitrogênio, é frequentemente usado para aumentar os níveis proteicos dos alimentos para animais e humanos, aumentando o risco de intoxicação.

A empresa oferece métodos analíticos para detectar melamina, bem como seus análogos estruturais conhecidos como amelina e o ácido isocianúrico, resultantes de impurezas na fabricação da melamina e do metabolismo bacteriano da mesma.

Detecção de patógenos através da Imunocromatografia:

A contaminação de alimentos está explicada principalmente pela presença de toxinas ou microorganismos responsáveis por gerar doenças. Na linha de produtos NH Immunochromato de Wako, é oferecida a opção de um kit para detectar verotoxinas e 7 bactérias, entre elas: E. coli, Salmonella e Campylobacter listeria.

O início do teste depende da formação de um complexo antígeno-anticorpo marcado com uma partícula coloidal amarelo ouro, o que flui em uma membrana de nitrocelulose, que terá uma faixa específica que mudará de cor se o complexo se ligar a um anticorpo específico do patógeno ou toxina localizada na referida faixa.

 Deteção de patógenos através de Esferas Magnéticas:

O princípio deste teste é muito semelhante ao anterior, uma vez que também inclui anticorpos que, neste caso, formarão um complexo com o patógeno e o processo de isolamento será facilitado por esferas magnéticas que estão ligadas a certas regiões desses anticorpos.

Bibliografia

  1. Sabater, Molina M, Larqué E, Torrela F, Zamora S. Dietary fructooligosaccharides and potential benefits on health. Physol Biochem. p. 315-28. 2009.
  2. Orjan Olsvik, Tanja Popovic, Eystein Skjerve, Kofitsyo S. Cudjoe, Erik Hornes, John Ugelstad and Mathias Uhlen. Magnetic Separation Techniques in Diagnostic Microbiology. Clin Microb. p. 43-54. 1994.
  3. A. Escobar, R. Faure, D. Sosa, P. Ponce, S. Vega. Melamina un problema potencial para la salud animal y humana como adulterante en los alimentos con énfasis en la leche. Rev. Salud Anim. 2010.

Por: Adriana Clegg