Reagentes e material de laboratório para química analítica. Parte 3: Cromatografia

28th July 2015

Reagentes e material de laboratório para química analítica. Parte 3: CromatografAs técnicas cromatográficas são muito diferentes e por isso requerem reagentes de diversos tipos e materiais de laboratório para serem desenvolvidas. Através da cromatografia se pode desenvolver separações de compostos químicos e também a purificação dos mesmos, em outros casos, se utiliza apenas de maneira qualitativa para identificar os componentes de uma mistura.

Os métodos cromatográficos são úteis nos laboratórios de síntese química, de análise, forenses e de outros tipos. Estas técnicas são úteis para pesquisas em biotecnologia, imunologia, estudo de doenças, detecção de drogas de consumo, estudos meioambientais, de alimentos, entre muitas outras aplicações que poderiam ser mencionadas. As técnicas cromatográficas se classificam segundo diferentes parâmetros como pode ser o estado físico em que se encontra na fase móvel, cromatografia gasosa ou líquida. O formato em que a análise é realizada constatamos, por exemplo, que a cromatografia líquida pode ser realizada em colunas ou em formato plano, que seriam as cromatografias de placa fina (TLC, em inglês Thin Layer Chromatography) e a de papel. Também se podem denominar as cromatografias pelo processo que ocorre devido à interação entre as diferentes moléculas, sendo chamada de cromatografia de deslocamento quando uma espécie ocupa o lugar de outra por ter uma maior afinidade com uma terceira entidade que se encontra imobilizada na matriz ou de afinidade quando se produz a separação por interações não covalentes. No caso que a separação se produza por diferenças de cargas estamos diante da cromatografia de intercâmbio iônico, e se é por tamanho, seria cromatografia de exclusão por tamanho.

A empresa Wako comercializa uma grande variedade de reagentes e materiais úteis para cromatografia. Neste artigo descreveremos alguns deles, classificando-os segundo a técnica cromatográfica em que podem ser utilizados.

A cromatografia líquida é realizada normalmente passando de uma fase líquida ou eluente para uma fase estacionária mais polar (no caso que seja mais polar, a fase móvel é denominada cromatografia de fase reversa). As fases estacionárias mais comuns para empacotar as colunas são a sílica gel (Wakogel DX) e a alumina. Para ser usadas em cromatografia em camada fina existem diferentes tipos de alumina, por exemplo, a empresa Wako nomeia as aluminas em seu catálogo segundo a porcentagem de sulfato de cálcio que contêm (que seriam a alumina B-0, alumina B-5 e alumina B-10) e esta última pode ser encontrada contendo una substância fluorescente para que ao serem reveladas as placas sob a luz ultravioleta os compostos sejam vistos como manchas negras sobre um fundo fluorescente verde. Esta seria a alumina B-10F e aquela que contém três espécies fluorescentes diferentes é a alumina B-10FM.

Deve-se destacar a ampla gama de colunas que podem ser encontradas nos catálogos da Wako para serem usadas em cromatografia líquida. A série Presep® inclui as colunas e todos os acessórios usados no pretratamento das amostras que serão analisadas por HPLC ou cromatografia gasosa. Nesta série estão incluídos reagentes especiais para cromatografia que podem ser substâncias de grande polaridade (Presep® RPP), alumina ativada, sílica gel de diferentes tipos (Presep® Silica Gel Type 3L, Presep® Silica Gel Type M, Presep® Silica Gel Type L) entre outros.

Atualmente é muito comum que a cromatografia líquida seja usada junto à espectrometria, dando lugar à técnica chamada “cromatografia líquida – espectrometria de massa (LCS)”. Se a análise realizada é para a determinação de vestígios, são necessários solventes com alto grau de pureza como os que a Wako distribui:

  • ácido acético (que pode ser usado em análise mediante LC/MS diminuindo o ruído nos resultados obtidos)
  • acetonitrila (pronta para o uso em LC/MS, que além de reduzir o ruído, ao vir em cápsulas de alumínio diminui o leve risco de contaminação que ocorre quando a acetronila é envasada em matéria plástico)
  • ácido fórmico
  • ácido fórmico 0,1 % em acetonitrila (neste caso o reagente já vem preparado no solvente de qualidade adequada para a análise de LC, pronto para ser usado)
  • metanol (envasado em cápsulas de alumínio)
  • 2-propanol
  • água puríssima

Em alguns casos, a cromatografia líquida é utilizada empacotando a coluna com sílica embebida em diferentes solventes. Esta técnica é chamada cromatografia em coluna multicamadas. Para a técnica de cromatografia multicamadas podem ser utilizados os solventes mencionados anteriormente e os produtos específicos que a empresa Wako vende para realizar este tipo de análise que são: a sílica gel impregnada com hidróxido de potássio, nitrato de prata ou ácido sulfúrico

Uma variante de cromatografia líquida é a HPLC, nomeada dessa forma por sua sigla em inglês: high performance liquid chromatography, que traduzido em português significa cromatografia líquida de alta resolução. As colunas empacotadas para HPLC a Wako comercializa na série Wakopak® Navi e tem todas as características necessárias para serem usadas na análise de uma grande variedade de amostras. Para esta técnica, a Wako também comercializa reagentes específicos como são os padrões, que já foram descritos em artigos anteriores (veja o artigo anterior “Reagentes usados como padrões em determinações analíticas”).

Outro tipo de cromatografia líquida é a cromatografia de pares iônicos, usada na separação de espécies com carga elétrica, ou seja, de íons que se separam ao formar uma espécie neutra com um contra-ión. Em geral, esta técnica se desenvolve em fase reserva. Para ser usados neste tipo de cromatografia Wako vende sais de sódio de diferentes ácidos como são o ácido pentanosulfônico, o ácido hexanosulfônico, o heptano e o octano sulfônico e também a solução de fosfato de tetrabutilamônio.

Com todos os produtos de Wako podem ser feitas análises e separações de rotina, necessários na maioria dos laboratórios, e outros mais específicos como é a análise de traços, a análise de contaminantes meioambientais, como podem ser os surfactantes aniônicos e de outros produtos tóxicos como as dioxinas.

MAIS REAGENTES PARA LABORATÓRIO

Biotina BTL-104 e BTL-105 Phos-tag™ Kit de reagentes SLP Kit Target mRNA Cloning da Wako
Biotina BTL-104 e BTL-105 Phos-tag™ Kit de reagentes SLP Kit Target mRNA Cloning da Wako

Lisa.jpg
Por: Lisa Komski Em: Produtos Wako