×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Acromopetidase (R), purificada, enzima lítica (TBL-1)


Acromopetidase (R), purificada, enzima lítica (TBL-1)

Acromopetidase (R), purificada, enzima lítica (TBL-1)

As enzimas bacteriolíticas são hidrolases que agem na parede da célula bacteriana e causam a morte da célula. Entre estas, a mais investigada foi a lisozima. 

Atualmente, a lisozima de albumina, para qual foram descobertas várias aplicações, é produzida em escala industrial. Entretanto, apresenta atividade bactericida somente contra os microorganismos gram-positivos (ex :, Micrococcus, Bacillus, Sarcina, Pediococcus, Kurthia) e não apresenta atividade contra os microorganismos patológicos como Staphylococcus, Streptococcus e Clostridii.

Muitas novas enzimas bacteriolíticas foram descritas recentemente, algumas das quais são provenientes de microorganismos. Foi descoberto que uma bactéria do solo, isolada pela primeira vez em 1966, produz uma enzima bacteriolítica muito ativa com grande especificidade. Da mesma maneira que a lisozima, a enzima causa a lise de micrococos, bacilos e Sarcina, mas diferentemente da lisozima, também causa a lise de estafilococos, estreptococos, Clostridium e leuconóstocos e, além disso, apresenta atividade contra alguns microorganismos Gram negativos.

A Wako investigou as propriedades da enzima bacteriolítica e têm tido sucesso na produção em grande escala da mesma. Esta nova enzima bacteriolítica é atualmente comercializada como acromopeptidase (TBL-1).

Outros produtos:


Reference:
Acromopetidase (R), purificada, enzima lítica (TBL-1)

DADOS

Características das Enzimas Bacteriolítica

Acromopetidase

Enzima lítica

Enzimas bacteriolíticas