×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Vantagens da extração de fase sólida para análise de contaminantes

12th July 2019

Extração de Fase Sólida para Análise de ContaminantesA revolução industrial trouxe consigo um aumento de contaminantes ambientais como resultado das atividades humanas. Posteriormente, os governos nacionais implementaram legislação visando controlar essas substâncias. Isso criou a necessidade de métodos analíticos precisos para a quantificação de contaminantes específicos. Os microcontaminantes apresentam um desafio particular.

São substâncias presentes em baixas concentrações (até microgramas/L), e podem ser de natureza orgânica ou inorgânica, sintéticas ou de origem natural. Mesmo com métodos de separação e detecção automatizados e altamente sensíveis, a análise de microcontaminantes continuou a ser um desafio devido aos procedimentos longos e tediosos exigidos para a preparação das amostras.

A extração em fase sólida representou um avanço significativo na preparação de amostras para análise de microcontaminantes, pois é um método rápido e fácil para concentrar o analito de interesse. É de grande importância também a disponibilidade de cartuchos prontos para uso, que simplificam o processo de montagem manual de uma coluna, além de permitir conexões a vácuo, reduzindo ainda mais o tempo necessário. A possibilidade de conectar esses cartuchos diretamente ao sistema de separação e detecção (HPLC-SM) permite que a análise seja realizada com a mínima variabilidade.

Na FUJIFILM Wako possuímos uma extensa variedade de resinas, que facilitam a detecção de diferentes tipos de microcontaminantes.

Presep® PolyChelate, captura de metais (296-33491)

Consiste em uma resina de metacrilato hidrofílica com polietilenoimina carboximetilada como um grupo funcional. Possui excelente capacidade para a separação de Cd, Co, Cu, Fe, Mo, Ni, Pb, V e Zn. Sob condições de pH inferiores a 7, nenhuma interferência é observada para Na, K, Mg e Ca.

O fluxo recomendado é de 10 mL/min, embora tenha sido comprovado que obtém uma boa separação mesmo com fluxos de 30 mL/min.

Recomenda-se o uso de acetato de amônio como tampão para evitar a interação com os elementos metálicos da amostra, bem como para filtrar amostras com alto teor de sólidos.

Presep® PFC-II (291-33441)

Perfluorcarbonos (PFCs) são derivados de hidrocarbonetos nos quais átomos de hidrogênio foram substituídos por átomos de flúor. Essa substituição lhes dá propriedades físicas e químicas interessantes, mas a sua grande estabilidade também os torna contaminantes de longa duração, e sua lipossolubilidade os torna bioacumulativos.

TAMBÉM PODE INTERESSAR-LHE: Reagentes para o estudo do metabolismo vegetal

A coluna PFC-II contém uma resina de polimetacrilato-divinilbenzeno especialmente concebido para a recuperação eficiente de uma vasta gama de PFCs, ambas as cadeias longas e curtas, tais como o ácido perfluorooctanoico (PFOA) e o ácido perfluorooctano sulfônico (PFOS).

Recomenda-se o uso de um fluxo de 10-20 mL/min, bem como o uso de metanol com 0,1% de hidróxido de amônio como eluente.

PresepR-C Florisil® (290-31951)

Florisil é um silicato de magnésio sintético ativado, com um tamanho de partícula de 75-150 μm. É muito útil para eliminar lipídios e como pré-tratamento para a detecção de resíduos de pesticidas em alimentos. Tem se mostrado útil na preparação de amostras como sucos de frutas, mel, leite, ovos, batatas e frutos do mar; bem como em lodo de esgoto e amostras de solo.

Se você estiver interessado em qualquer um dos produtos mencionados neste artigo, Contate-nos Já.

Bibliografia:

  1. Capriotti, A. L., Cavaliere, C., Giansanti, P., Gubbiotti, R., Samperi, R., & Laganà, A. (2010). Recent developments in matrix solid-phase dispersion extraction. Journal of Chromatography A, 1217(16), 2521-2532.
  2. Kagaya, S., Saeki, Y., Morishima, D., Shirota, R., Kajiwara, T., Kato, T., & Gemmei-Ide, M. (2013). Potential of Presep® PolyChelate as a chelating resin: comparative study with some aminocarboxylic acid-type resins. Analytical Sciences, 29(11), 1107-1112.
  3. Liška, I. (2000). Fifty years of solid-phase extraction in water analysis–historical development and overview. Journal of Chromatography A, 885(1-2), 3-16.

Por: Adriana Clegg Em: Produtos Wako