×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Pesquisa em fibrose e câncer

30th September 2019

Pesquisa em fibrose e câncerA fibrose é conhecida como a formação de um excesso de tecido conjuntivo fibroso, que causa endurecimento estromal com a consequente formação de uma cicatriz. Esse processo normalmente ocorre quando o tecido danificado é reparado e consiste nas seguintes etapas: coagulação, inflamação, proliferação celular, supressão da inflamação, angiogênese e remodelagem tecidual. 

Quando existe um processo inflamatório crônico, a fibrose pode se tornar patológica, pois a constante ativação do processo gera um depósito excessivo de proteínas da matriz extracelular que modificam a estrutura e a função do tecido afetado.

O crescimento de células cancerígenas implica uma falta de regulação da proliferação celular, que produz um estímulo inflamatório crônico e gera um microambiente fibrótico ao redor do tumor. Foi observado que o desenvolvimento de lesões fibróticas juntamente com o crescimento de tumores possui efeitos opostos. A princípio, a fibrose limita o crescimento de células cancerígenas. Após reprogramar as células estromais, a fibrose promove a proliferação de células cancerígenas, aumentando a angiogênese e suprimindo a resposta imune.

Portanto, são realizadas pesquisas sobre os mecanismos de promoção e regulação da fibrose que buscam controlar o crescimento tumoral. Observou-se que a expressão do fator de crescimento do tecido conjuntivo (CTGF) pode estar associado ao desenvolvimento e progressão de tumores, sendo alvo de interesse para o desenvolvimento de terapias anticâncer.

O fator de crescimento do tecido conjuntivo (CTGF) pertence à família de proteínas da CNN, proteínas reguladoras da matriz extracelular. Participa no controle de diferentes processos, como proliferação celular, diferenciação, adesão e angiogênese.

A proteína é expressa em vários órgãos: músculo liso, linfonodos, pulmões, fígado, trato gastrointestinal, endométrio e pele. São distinguidas quatro regiões altamente conservadas, cada uma com uma atividade específica. Sua expressão é regulada por vários estímulos, como fatores de crescimento, citocinas e hormônios.

Um aumento na expressão do CTGF está associado à fibrose patológica, como esclerose sistêmica, fibrose pulmonar idiopática, nefropatia diabética, artrite e doenças cardiovasculares relacionadas à hipertensão e ao diabetes mellitus. Sua participação nas patologias oculares foi confirmada através da promoção de fibrose e neovascularização, causando danos ao desenvolvimento da retina e glaucoma.

A superexpressão do CTGF aumenta a mobilidade das células cancerígenas e, portanto, promove a metástase, embora em alguns casos uma correlação negativa tenha sido encontrada. Foi confirmado um aumento na expressão de CTGF em vários tipos de câncer, como mama, colorretal, pancreático, tireoide, esôfago, condrossarcoma, glioma e carcinoma de células escamosas na língua.

TAMBÉM PODE INTERESSAR-LHE: Avanços na pesquisa do câncer

Entre as estratégias que estão sendo investigadas para o desenvolvimento de anticancerígenos com CTGF como alvo, está a sua inibição através do uso de anticorpos anti-CTGF ou de oligonucleotídeos anti-sentido de CTGF.

Na FUJIFILM Wako, oferecemos os seguintes produtos para a pesquisa nesta área:

Fator de crescimento do tecido conjuntivo (CTGF) recombinante (036-19471)

Anticorpos monoclonais anti-CTGF:

  • Módulo 1 (012-27421): Reconhece o domínio de ligação ao fator de crescimento semelhante à insulina, a extremidade N-terminal da proteína.
  • Módulo 2 (019-27431): Reconhece o domínio do fator de von Willebrand tipo C. Participa na oligomerização de proteínas.
  • Módulo 3 (016-27441): Reconhece o domínio trombospondina-1. Participa da ligação de macromoléculas solúveis e matriciais
  • Módulo 4 (013-27451): Reconhece o domínio C-terminal. É o domínio da dimerização e participa da ligação na superfície celular.

Se você estiver interessado em qualquer um dos produtos mencionados neste artigo, contate-nos aqui.

Bibliografia:

  1. Chandler, C., Liu, T., Buckanovich, R., & Coffman, L. (2019). The double edge sword of fibrosis in cancer. Translational Research.
  2. Ramazani, Y., Knops, N., Elmonem, M. A., Nguyen, T. Q., Arcolino, F. O., van den Heuvel, L. & Goldschmeding, R. (2018). Connective tissue growth factor (CTGF) from basics to clinics. Matrix Biology, 68, 44-66.

Por: Adriana Clegg Em: Produtos Wako