Diferença entre os anticorpos monoclonais e policlonais

5th February 2018

Diferença entre os anticorpos monoclonais e policlonaisOs anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico do organismo como uma defesa contra uma substância que não reconhece, o antígeno. Segundo, se são produzidos por um único tipo de linfócito ou não, são denominados, anticorpos monoclonais e policlonais, ambos têm numerosas aplicações biomédicas.

Anticorpos monoclonais

Os anticorpos monoclonais são obtidos através da clonagem de uma única célula-mãe, e são produzidos como resposta a um antígeno específico. Denomina-se um antígeno todo agente patogênico que desencadeie a síntese de proteínas nos linfócitos B, que servirão como defesa; estas proteínas sintetizadas são chamadas de anticorpos. Os anticorpos apresentam dois locais de ligação ao antígeno e são formados por cadeias peptídicas de diferentes comprimentos. Atualmente, os anticorpos monoclonais são obtidos a partir de hibridomas ou por técnicas da engenharia genética.

Também pode interessar-lhe: Reagentes Wako para pesquisas genéticas

Os anticorpos monoclonais são usados na medicina para fins diagnósticos e terapêuticos, por exemplo, nos testes de histocompatibilidade, citometrias de fluxo ou técnicas diagnósticas de ELISA. Estes anticorpos são usados em terapias oncológicas, para o tratamento de doenças autoimunes, cardiovasculares, e como anti-inflamatórios. A ligação dos anticorpos monoclonais a alguns fármacos permite melhorar a especificidade e a eficácia destes, de modo que estão mais presentes nos tratamentos médicos a cada dia.

Um exemplo de anticorpo monoclonal comercializado pela Wako é o Anti Iba 1 Monoclonal (Clone NCNP24) de camundongo [catálogo 012-26723 e 016-26721]; sua utilidade é que é específico para a proteína fluorescente verde (GFP, por sua sigla em inglês, Green fluorescent protein) que é comumente usada na pesquisa para marcar as proteínas em estudo.

Anticorpos policlonais

Os anticorpos policlonais são aqueles produzidos como resultado de uma resposta imune a um antígeno, que geralmente implica na ativação de múltiplas células B, todas as quais se dirigem a um epítopo específico nesse antígeno. Estes anticorpos se caracterizam por ter diferentes especificidades e afinidades de epítopo. Os anticorpos policlonais podem ser obtidos do soro de animais imunizados, quando o antígeno de interesse estimula os linfócitos B a produzir uma diversa gama de imunoglobulinas específicas para esse antígeno.

Os anticorpos policlonais são amplamente utilizados para fins de pesquisa em muitas áreas da biologia, por exemplo, nas técnicas de imunoprecipitação, histoquímica e ELISA. Eles têm grande uso como detectores de antígenos de segunda etapa e no diagnóstico de várias doenças. O Anticorpo Policlonal Anti-Iba 1 [catálogo: 019-19741] de Wako, obtido a partir do soro de coelho, tem grande aplicação na Imunoquímica e pode ser comprado conjugado com biotina.

Diferenças entre os anticorpos monoclonais e policlonais

A principal diferença entre os anticorpos monoclonais e policlonais encontra-se em sua origem; os anticorpos monoclonais são anticorpos idênticos porque são produzidos a partir de uma única célula híbrida de linfócitos B, e eles reconhecem não só o mesmo antígeno, mas também se ligam ao mesmo epítopo do mesmo. Os policlonais, por outro lado, são produzidos a partir de uma mistura de linfócitos e reconhecem múltiplos epítopos no mesmo antígeno.

Os anticorpos policlonais podem ser produzidos em grandes quantidades, já que a sua produção é relativamente rápida e barata em comparação com a dos anticorpos monoclonais, já que não são específicos e são capazes de reconhecer múltiplos epítopos em qualquer antígeno. Esta capacidade ajuda aumentar o sinal produzido pela proteína alvo, uma vez que o anticorpo se liga a mais de um epítopo, resultando em uma detecção mais robusta.

Os anticorpos monoclonais, por sua vez, são altamente específicos e são obtidos a partir de linhagens celulares imortais. Todos os lotes obtidos serão idênticos e específicos para um único epítopo; isto permite a padronização dos testes que desejam ser desenhados com estes anticorpos. Além disso, a alta especificidade do anticorpo monoclonal reduz o ruído de fundo e a reatividade cruzada. Os resultados dos testes realizados usando anticorpos monoclonais geralmente possuem maior reproduzibilidade e afinidade para a purificação de proteínas.

ALGUNS REAGENTES USADOS EM IMUNOQUÍMICA

Anticorpo monoclonal Anti-DYKDDDDK Anti-Asialo GM1 (coelho) Anti-OMP – Neurociências (teste olfativo)
Anticorpo monoclonal Anti-DYKDDDDK Anti-Asialo GM1 (coelho) Anti-OMP – Neurociências (teste olfativo)