×

Este website utiliza cookies. Ao utilizar este website, você está aceitando nossa Política de Privacidade.

Reagentes fluorescentes para provas biológicas

12th May 2016

Reagentes fluorescentes para provas biológicasOs reagentes fluorescentes são aqueles que emitem luz depois de terem sido excitados com um comprimento de onda apropriado, que promove os eletrões a níveis energéticos de maior energia. O regresso dos eletrões aos níveis basais pode ocorrer com emissão de calor e de fotões, dependendo da quantidade de energia que se emite sob a forma de luz considera-se que o composto tem um maior rendimento quântico de fluorescência. Os avanços tecnológicos permitiram a deteção da emissão de luz de diferentes frequências e intensidades, existindo hoje em dia espectrofluorímetros muito sensíveis, assim como microscópios, com os quais se pode levar a cabo investigações que incluem dados significativos das propriedades físico-químicas dos compostos em estudo.

A propriedade de fluorescer na região visível do espectro eletromagnético, que tem determinadas moléculas, tem sido utilizada pelos investigadores de diferentes campos da biologia para múltiplas aplicações, especialmente aqueles que trabalham em temas da biotecnologia, biologia molecular e biologia celular. Os compostos fluorescentes são usados para a marcação de proteínas e de outras biomoléculas; para a coloração de tecidos ou parte destes, tanto in vitro como in vivo; como sensores moleculares e em outros tipos de provas fluorescentes.

Neste artigo descrevemos alguns reagentes de laboratório que são utilizados como provas fluorescentes para estudar processos biológicos e que têm como característica comum serem comercializados exclusivamente pela empresa Wako.

DAMPAQ-22

O reagente comercializado com o nome DAMPAQ-22 é o 3-(2,6-dietil-4-dansilaminofenil)-1-metil-2,4- (1H, 3H)-quinazolinadiona. Com este reagente fluorescente pode-se conhecer a localização da aminopeptidase sensível à puromicina (PSA), dentro de um organismo. A PSA é uma neuropeptidase que é objeto de estudos para esclarecer a sua relação com a divisão e morte celular, assim como seu papel nas doenças induzidas pela proteína Tau, como a Doença de Alzheimer. Esta neuropeptidase é semelhante à aminopeptidase N e tem em comum alguns recetores e inibidores, pelo que as investigações apontam para que seja uma molécula com grande importância fisiológica a nível neuronal. O DAMPAQ-22 obteve-se modificando estruturalmente a PAQ-22 [3-(2,6-dietilfenil)-2,4(1H,3H)-quinazolinadiona], que é um inibidor da PSA.

BES-Thio

Outro dos reagentes para laboratório que se pode adquirir na Wako é o BES-Thio, o qual é um reagente fluorescente que se utiliza para a deteção seletiva de grupos tióis e fenóis. Embora existam outros compostos que se podem usar como provas fluorescentes para o grupo tiol, a sua maioria caracteriza-se por ser pouco hidrofílica, o que dificulta a sua deteção. Com o uso do BES-Thio, uma substância mais hidrofílica, podem-se realizar determinações em meio aquoso, sem necessidade de separar a camada intermédia da formula analítica, o que leva à redução do número de passos necessários para a deteção. Devido à maior solubilidade na água, o BES-Thio permite medir a atividade de enzimas como a colinesterase, usando acetiltiocolina ou butiriltiocolina como substratos. Por outro lado este reagente responde a tióis a um pH 7,4, e ajustando o pH até 5,8 é possível detetar também os grupos fenóis quando o enxofre de uma proteína é substituída por selénio.

BES-So

O BES-So, pela sua parte, é utilizado na deteção de superóxidos, espécies reativas de oxigénio com baixa citotoxicidade, com uma alta especificidade, mediante uma reação que não é do tipo redox, como no caso de outros reagentes fluorescentes que geralmente se usam na deteção de superóxidos.

BES-H2O2

Com o BES-H2O2 leva-se a cabo a deteção do peróxido de hidrogénio, outra das espécies reativas de oxigénio que podem ser geradas pelas células. O peróxido de hidrogénio é usado como indicador de diversas patologias e os reagentes fluorescentes usados na sua deteção têm baixa especificidade. A vantagem do uso do BES-H2O2 é precisamente a alta especificidade que apresenta, frente ao peróxido de hidrogénio, pelo que se pode medir de uma forma fiável a relação desta espécie, tanto com patologias como com outros processos celulares, usando este reagente.

Se está interessado em comprar reagentes quimicos para investigações, não hesite em entrar em contacto com a equipa da Wako, ou através da nossa página web pode pedir os seus orçamentos.

Bibliografia:

1) Kakuta, H., Koiso, Y., Nagasawa, K., Hashimoto, Y., Bioorg. Med. Chemd. Lett., 13, 83-6 (2003).

2) Maeda, H., Katayama, K., Matsuno, H. and Uno, T.: Angew .Chem. Int. Ed., 45, 1810 (2006).

3) Maeda, H., Fukuyasu, Y., Yoshida, S., Fukuda, M. Saeki, K.. Matsuno, H., Yamauchi, Y., Yoshida, K., Hirata, K. and Miyamoto, K. : Angew. Chem. Int. Ed., 43, 2389 (2004).

ALGUNS REAGENTES PARA LABORATÓRIO:

Kit de extração de DNA SP

Cloreto oenin com HPLC

Kit de reagentes SLP

Kit de extração de DNA SP Cloreto oenin com HPLC Kit de reagentes SLP

Guardar


Lisa.jpg
Por: Lisa Komski