Fornecedores de enzimas na América latina para pesquisas biológicas

4th February 2016

Fornecedores de enzimas na América latina para pesquisas biológicasNos laboratórios onde são realizadas pesquisas relacionadas com os processos biológicos, frequentemente são utilizadas enzimas, pois estes compostos são os catalisadores por excelência dos bioprocessos. Além disso, as propriedades catalíticas das enzimas também são utilizadas na síntese química para substituir catalisadores tóxicos ou para simular os processos que ocorrem nos seres vivos.

A seguir, comentaremos as utilidades de duas enzimas que são reagentes exclusivos, ou seja, que só podem ser adquiridos através da Wako.

Lisil endopeptidase

Lisil endopeptidase provém da bactéria Achromobacter lyticus, e é chamada protease I, dos três tipos de protease produzidos por esta bactéria, esta se caracteriza por catalisar a ruptura dos resíduos de lisina. A lisil endopeptidase é usada em pesquisa para hidrolisar seletivamente ligações peptídicas que contém lisina como aminoácido terminal, e as ligações prolina-lisina.

Acromopeptidase

A acromopeptidase, que a Wako comercializa Acromopeptidase pura e Acromopeptidase sem purificação é uma enzima do tipo protease isolada de uma bactéria que possui um amplo espectro bacteriolítico. Apesar de originalmente ter se declarado que a acromopeptidase seria proveniente da Ahromobacter lyticus, estudos posteriores demonstraram que é mais provável que provenha de uma bactéria do tipo Lysobacter homóloga. Se comparada a outras enzimas utilizadas em pesquisa por seu efeito antibacteriano, como é a lisozima obtida da albumina, pode-se comprovar que o espectro antibacteriano da acromopeptidase é maior e que sua atividade é mais potente.

A acromopeptidase deve ser utilizada com um pH entre 7.5 y 8.5, e levando em conta que contém lactose como excipiente. Sua atividade decresce ao aumentar a força iônica do meio, que é um fator importante a ser observado no momento de fazer os experimentos usando esta bactéria.

Outras enzimas que podem ser muito interessantes para os pesquisadores, e que podem ser encontradas nos catálogos de Wako, são as enzimas hiper termoestáveis. Estas enzimas podem ser utilizadas em experimentos que aconteçam a mais de 70 graus sem que percam a sua atividade, Como exemplos, podemos citar:

  • o DNA ligase termicamente estável, obtido de Aeropyrum pernix K1, é capaz de conectar as cadeias da hélice dupla de DNA a mais de 70°. Comprovou-se que esta ligase é estável em tratamentos a 100° C durante uma hora e a 95°C por mais de três horas.
  • a celulase extraída de Pyrococcus horikoshii OT3 é uma endoglucanase que hidrolisa a celulose, inclusive, a que se encontra em forma cristaliza ou a carboximetilcelulosa, acima dos 70˚C.
  • a quitinase, que é uma enzima que catalisa a conversão de quitina em N-acetilglucosamida. A quitinasa termoestável obtida de Pyrococcus furiosus age com igual eficácia sobre a β-quitina do que sobre a α-quitina mais difícil de degradar.

A maioria das enzimas comuns também são comercializadas pela Wakolatinamerica. Algumas das enzimas que podem ser adquiridas no site www.wakolatinamerica.com são:

Bibliografia:

1) Masaki, T. et al.: Biochim. Biophys. Acta. 660: 44–50 (1981).

2) Keiji, N. et al.: Agr. Biol. Chem., 37, 2667 (1973).

3) Jeon SJ. and Ishikawa K., FEBS Lett., 550, 69-73 (2003).

4) Kashima, Y., Mori, K., Fukuda, H. and Ishikawa, K., Extremophiles., 9(1), 37 (2005).

ENZIMAS PARA LABORATÓRIOS DE PESQUISA:

Acromopetidase (R)

Lisil endopeptidase

Sorbitol desidrogenase

Acromopetidase (R) Lisil endopeptidase Sorbitol desidrogenase

Lisa.jpg
Por: Lisa Komski Em: Produtos Wako